A bemyself não é apenas uma marca, define sim uma atitude.

Sede: 
Rua Pascoal de Melo nº3, 1.1
1170-294 Lisboa
Escritório:
Avenida Almirante Reis nº114, 6ºb
1150-014 Lisboa
Email:
geral@bemyself.pt

BEMYSELF

Como Poupar de A a Z

Como Poupar de A a Z

Cansado/a de chegares a meio do mês e encarares a conta a zeros? Saturado/a de contar tostões e de não ter trocos para pagar os sacos de plástico do supermercado? Respira. Para acabarmos com o teu sofrimento, contamos-te 23 segredos para que nunca mais te falte dinheiro na carteira e consigas poupar. Só não pares de ler. No fim, não te esqueças: dá uma olhadela na tua conta bancária e vê a magia acontecer. Ou talvez não.

 

Adeus carro, olá transportes.

– A gasolina está cara. As manutenções das viaturas também. O Universo conspira a favor dos transportes públicos. Para além de menos poluentes, são também mais económicos e dinâmicos. À distância de uma esticadela de braço, apanhas um autocarro, ouves conversas atípicas e ainda garantes um lugar VIP na audição da chamada telefónica do vizinho do lado.

Bebidas e águas num restaurante? Não.

– Quem nunca arregalou os olhos perante a conta de um jantar que atire a primeira pedra. Que os restaurantes se aproveitam das bebidas para retirarem pontos extra, já é sabido. Agora, o que muito boa gente desconhece é que não tem mal nenhum ser social, participar nas jantaradas e andar com uma latinha de bebida gaseificada ou uma garrafinha de sidra na mala. Para os mais santinhos, a água também é opção. A primeira paragem antes de aterrar num destes locais, tem que ser mesmo, num supermercado ou mercearia.

Comer antes de comer fora.

– Comer antes de comer é a regra de ouro para poupares alguns tostões. Se olhares para o cardápio de barriga vazia, a vontade de devorar tudo vai ser gigante. Se, por outro lado, petiscares algo antes de chegares ao restaurante, o teu auto-controlo será muito maior e, consequentemente, irás comer menos e poupar mais.

Devorar comida ou snacks antes de ir ao supermercado.

– Mantém-se a regra, altera-se o cenário. Se comeres antes de ires às compras, o açúcar e as proteínas ingeridas vão fazer com que a vontade de devorares tudo o que te aparecer à frente, desapareça. Vais comprar apenas o que está em falta na tua despensa e vais ignorar vontades momentâneas.

Escrever uma mensagem subliminar na parte de trás do cartão de crédito ou do telemóvel.

– A mensagem subliminar tem que conter algo do género ‘’Preciso mesmo disto?’’ou ‘’Aquilo faz-me mesmo falta?’’. Olhar para a questão sempre que fores comprar algo é uma dica infalível que te fará ponderar algumas (bastantes) vezes.

Feijão, massa, arroz e frutos secos é avulso.

– Por norma, os produtos avulso são mais baratos pois não são promovidos por marcas em específico. Aposta nisto!

Guardar o dinheiro num mealheiro indestrutível.

– Esta dica é ancestral, mas muito valiosa. Dá uso àquela lata forrada com árvores e anjos que te foi oferecida pela tua tia-avó há 10 anos atrás. Sim, essa mesmo. Essa lata que não se abre nem com uma serra elétrica. Se todos os dias colocares uma quantia mínima de dinheiro, ao fim de um mês já tens dinheiro suficiente para comprares outras 30 latas iguais.

‘’Hoje gastei X…’’.

– Definir limites diários para despesas ajuda-te na compreensão dos teus gastos. Com esta dica ficas a conhecer os teus pecados e quais as coisas em que mais abres os cordões à bolsa.

Internet >> Supermercados Online >> Dois ou Três Cliques >> Comida em Casa

– Comprar através da internet é um dos métodos mais eficazes para se controlar o budget. Evitas filas e, como não vês o aspeto real do produto, focas-te no essencial. Faz uma lista de coisas necessárias, visita o site oficial de um hipermercado à escolha e desata a adicionar coisas ao teu carrinho virtual. No fim, é só refastelares-te no sofá e aguardares.

Jurar fugir a oito pés dos Saldos e Black-Fridays.

– Os Saldos e as Black-Fridays são os pecados Universais. As multidões alimentam-se de pechinchas e de ‘’bons negócios’’. Mal sabem elas que as peças de roupa ou eletrodomésticos sofredores destas ‘’rebajas’’ vêm com defeitos ou são descontinuados. Evita comprar ‘’só porque é barato’’. Investe em algo necessário e, se estiver em promoção, ainda melhor.

Levar snacks e refeições de casa para o trabalho ou faculdade.

– E quem não se lembra das lancheiras da avó? Porque não seguir esse hábito ancestral e carregar uma bela sandes de queijo na mala, umas tâmaras ou até mesmo umas bolachas de água e sal? Quando a fome apertar, esse será o teu escape. Isto vai impedir-te de recorreres ao café mais próximo e gastares rios de dinheiro por uma tosta de atum. E tu que nem gostas de atum…

Malas, calças e blusas vintage é que estão a dar.

– Sempre ouvi dizer que a moda é um ciclo vicioso. Vai e volta. Então, porque não experimentas uns Jeans de 1980 a preço de amigo ou até mesmo um casaco para a chuva quase a custo zero? Compras em segunda mão são sempre grandes ‘’achados’’. Em último caso, opta pelas peças básicas da secção ‘’Roupas / Lar’’ existentes nos Hipermercados.

Noites em Hotéis, Viagens ou Experiências em formato ‘’Voucher’’? Sim, por favor.

– Aproveita as tão reduzidas férias e aluga um quarto de hotel, anda a cavalo, recebe uma massagem ou aventura-te por caminhos desconhecidos. Tudo isto a metade do preço. Os vouchers online costumam ser muito amigos da carteira pois as empresas que os fornecem têm acordos com outras agências e organizações.

Outfits condenados? Demasiado mainstream.

– Sabes aquele fato azul escuro às riscas que prometeste usar um montão de vezes, mas que não passou da primeira lavagem? E aquele vestido coberto de lantejoulas e de tule rosa néon que levaste para o casamento de uma amiga da prima da tua tia em terceiro grau? Essas peças estão condenadas a prisão perpétua dentro do teu armário. Para evitar isto, recusa todos os convites de futuros casamentos e batizados. Espera, estamos a exagerar. O truque é investires em algo mais versátil e que possa ser utilizado no teu dia a dia.

Pagar contas é com dinheiro vivo.

– A ‘’dor’’ advém quando sentes o dinheiro a voar para bem longe. Ao utilizares o cartão de crédito, sistematicamente, acabas por não ter a perceção da perda e, por isso, é mais fácil investires em coisas supérfluas.

Quinze segundos. São só quinze segundos.

– A pergunta dos ‘’Quinze Segundos’’ é crucial. Questiona-te, antes de cada compra, se ‘’Isto vale mesmo a pena?’’. Espera que o teu subconsciente termine o trabalho. Irás ouvir muitos ‘’nãos’’. Lida com isso.

Reciclar roupa e móveis.

– Por detrás de um grande ‘’poupadinho’’ está um grande ‘’artista’’. Dá largas à tua imaginação e coloca mãos à obra. Pinta e decora estantes antigas ou transforma calças em calções. Quem sabe… Ainda acabas a dar Workshops de Sustentabilidade e Sentido Artístico.

Sim a um dia de ‘’Compras Não’’.

– Reserva, pelo menos, um dia do mês para não comprares absolutamente nada. Pode ser que a moda pegue nos restantes dias do ano. Pelo menos terás a certeza de que, naquele dia, não irás ter despesas.

Trocar o ginásio por atividades ao ar livre.

– Também és daquelas pessoas que desembolsa uns largos tostões na mensalidade do ginásio, mas que nem sabe o nome do Personal Trainer? Pois bem, está na hora de te despedires das máquinas que utilizaste uma única vez e de saudares o a natureza e a brisa fresca. Treina ao ar livre. Poupas dinheiro, recebes vitamina D e ainda absorves energias positivas.

Um só. Somos um só.

– Esta regra é para os mais apaixonados e menos esfomeados. É comum observarmos, num jantar ou saída, as mesas repletas de doses para um batalhão. Confiantes da capacidade de armazenamento dos próprios estômagos, achamos sempre que vamos ‘’rapar fome’’. Enganamo-nos. Uma dose dá para dois. É preciso é saber escolher a tasca e evitar restaurantes gourmet.

Vaguear pelas ruelas da cidade com pouco dinheiro no bolso.

– Quanto menos dinheiro tiveres contigo, menos poderás gastar. Certifica-te que tens uma quantia considerável para que possas agir perante uma situação urgente ou de risco. Não mais do que isso.

Xô aos e-mails com ‘’ofertas imperdíveis’’.

– Somos diariamente ‘’spameados’’ com e-mails de ofertas 2 por 1, descontos de 50% ou vales para gastar numa compra superior a 50€. Chega. Estas táticas espremem-te o cérebro e criam em ti necessidades de compra irreais.

Zás. Penteado novo sem ir ao Cabeleireiro.

– Com esta dica, as cabeleireiras nunca mais serão culpadas por cortarem cabelos a mais. Arma-te em esteticista ou cabeleireiro caloiro e arranja as unhas em casa, corta o teu próprio cabelo e barba. Se quiseres, podes sempre fazer a festa com algum familiar ou amigo. Arrisquem juntos nas madeixas loiras ou nos cortes personalizados com símbolos e formas geométricas.

 

you dream it. we do it.